Com a descoberta de novas raças, o homem começou a perceber que existia um padrão de características comportamentais, físicas e temperamentais entre alguns desses cães. Assim começaram a ser feitos estudos comparativos entre as raças para verificar quais animais possuíam características próximas. Foi ai que, sediada na Bélgica, a Fédération Cynologique Internationale (FCI) reconheceu 10 grupos de raças que agrupam cães parecidos no tamanho, pelagem, tipo, porte, variedade, personalidade e qualidade. Esse agrupamento se deu também pela forma de utilização e aptidão para a realização de determinadas tarefas. Esses grupos ficaram divididos em:

grupo-7

Apontadores

grupo-8

Caçadores e Nadadores

grupo-9

Cães de Companhia

grupo-10

Corredores

A divisão dos Grupos foi feita da seguinte maneira, do gupo 1 ao grupo 11 respectivamente: Cães de Pastor e Boiadeiros (em exceção dos Boiadeiros Suíços); Boiadeiros Suiços, Cães de tipo Pinscher e Schnauzer, Molossóides e Cães de Montanha; Terriers; Dachshunds; Cães de tipo Primitivo e de tipo Spitz; Sabujos Farejadores e Raças Parecidas; Cães Apontadores ou de Parar; Cães Levantadores e Cobradores de Caça e Cães de Água; Cães de Companhia; Galgos (Conhecidos como Lébreis); Raças não reconhecidas pela FCI

Os cães que não possuem uma raça definida pelo FCI são considerados vulgarmente falando Vira-latas ou SRD, que significa sem raça definida. No entanto existem as raças caninas que não foram reconhecidas pela federação, mas que são reconhecidas nacionalmente em seu país de origem, pela CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia) essas raças se encaixam no grupo 11.

Essa divisão em 10 grupos foi feita pela FCI, entretanto existem várias entidades cinófilas que não reconhecem tais padrões de raças e fazem as suas próprias subdivisões. Aqui no Brasil, essas entidades são a CBKC - Confederação Brasileira de Cinofilia, que faz a divisão em 11 grupos, a ACB - Associação Cinológica do Brasil, que faz em 10 e a SOBRACI - Sociedade Brasileira de Cinofilia, que faz em 7 grupos.